30 maio 2007

fisiologia

é difícil. tem coisa na vida que dói. mas tem que fazer, não tem outro jeito. estou falando sobre intervenções cirúrgicas, exames invasivos, efeitos colaterais e aparelhos ortodônticos. ontem eu precisei colocar uma coisa na boca. chama-se "platô" o instrumento de tortura. dá para imaginar esse aparelho em campos de concentração. dói. dói muito. e ainda destrói as funções da fala, inviabiliza o ato de comer e provoca depressão nas primeiras semanas. enfim, o objeto é utilizado para deslocar o maxilar. isso mesmo, é feito para arrebentar a cabeça. simplesmente, um emaranhado de ferros (alguns deles revestidos com acrílico) que trava a língua e impede que os dentes inferiores encostem nos dentes de cima. parece simples. mas é uma das coisas mais desesperadoras que já experimentei na vida. daí vem a velha frase (oriunda de bocas alheias - porque somente bocas alheias seriam capazes de pronunciar tamanha blasfêmia): "você se acostuma". tudo bem, eu sei que os organismos são capazes de se adaptar e sobreviver às condições mais inóspitas. mas não deixa de ser tortura. e não deixa de causar dor, sofrimento, insônia (e ódio do dentista). o argumento que ele (o dentista) usou para me convencer a usar esse trambolho bucal: "as articulações do seu maxilar estão em risco, e já estão muito desgastadas para a sua idade. além disso, seus dentes também estão sofrendo com sua oclusão, é preciso corrigir". tá vendo, não tive opção. mas a verdade é que agora, nesse momento de sofrimento agudo, eu já não sei o que é pior para meu maxilar e dentes desgastados. chego a sentir saudades daquele dentinho torto que até me incomodava de vez em quando. eu sei que é lamúria, lamentação, e que isso não resolve nada. tudo bem, no fundo eu sei que vai melhorar. são apenas dois meses. algumas noites sem dormir. vários dias sem comer. muito tempo sem falar. enquanto isso tomo mingau de aveia com paracetamol.

8 comentários:

photographie disse...

agradecimento especial ao amor da minha vida. homem que me ama mesmo quando com trambolhos obscenos na boca! e ainda vem com presentes e sorvetes, passa a noite comigo e me estimula a falar (ação inviável no momento). che, todo o obrigada do mundo para você, recheado com todo amor que existe no meu coração!

Flor disse...

Vc tem bloco e caneta!??!?!
Menina, tem um remédio que é BOM pra caramba... chama Spidufen... é um pacotinho com um pozinho que vc coloca em água e toma! Melhor analgésico pra coisas de dente que conheço... usei quando o açougueiro, quer dizer, o dentista tirou meus cisos... Nunca vi ninguém ficar como eu fiquei... foi horrível DEMAIS! Nem posso imaginar vc agora!!!
É uma MERDA mesmo!!!
E vc tem todo direito de reclamar!!!
Mas a verdade linda, é que vai passar sim! E se Deus quiser, vai ficar MUITO melhor que antes!!!

Se precisar, estamos aqui, viu?

Beijocas

Rafael Campos disse...

meu sonho de infancia era beijar alguem de aparelho

achava que o esmalte dos dentes se encontraria com os ferrinhos apertados e me levariam a um extase bucal perfeito

daí, minha boca foi cortada, o sangue brotou na boca dela e eu percebi o quanto criança é boba

Maria disse...

ai. ai. ai.

doí, eu sei. raiva, odio. ai ai ai.

não posso mais dizer nada. mas vc é linda, de qualquer jeito.. rs

sodade de tu!

photographie disse...

é uma merda mesmo! nessa madrugada, em um ataque de desespero eu tentei arrancar o aparelho com um alicate de eletricista! só consegui arrancar aqueles fios terríveis que ligam os brakets (não sei como escreve isso!) e fazem a cabeça explodir! aliviou bastante... mas o que está me matando mesmo é um ferro bem no céu da boca que me impede de falar e mastigar... já viu professora dar aula sem falar???? não dá pra usar só bloco e caneta...
daí hoje eu liguei para o dentista querendo desistir de tudo! mas ele pediu para eu passar lá para conversarmos e pensarmos em alternativas...
vou experimentar o spidufen (e um calmante!), valeu pela dica e pela força! beijo grande e metalizado!

photographie disse...

bonitinha a história da criança boba!

LeoGomes disse...

Achei seu blog procurando exatamente informações na net sobre esse maldito platô. Coloquei ontem e as sensações até agora são exatamente essas que vc descreveu. Eu acho q é difícil pra um adulto suportar desse treco. Vamos ver até qdo eu aguento. Eu saí do dentista com a sensação de que iria passar um tempo em absoluta clausura, sem vida social e evitando ao máximo me expressar verbalmente no trabalho (graças à Deus eu não sou professor :)

Fica aqui minha solidariedade.

photographie disse...

léo, que engraçado achar meu blog nessa pesquisa! o platô é maldito mesmo, mas asseguro que o desespero dos primeiros dias logo vai esmorecer...
acredito ser difícil para qualquer organismo vivo suportar uma maldade dessas!
mas o efeito dele geralmente é rápido, e eu acabei tirando antes mesmo de completar dois meses!
você não tem idéia da sensação que é tirar esse platô!
espero que você escreva logo contando sobre o seu momento!
e tenho certeza de que vai aguentar até o fim, depois de alguns dias de total agonia e vontade de arrancar (e até mesmo algumas tentativas nesse sentido - peça para alguém esconder todos os alicates da casa, ou melhor, a caixa de ferramentas!) você vai reaprendendo a falar, a comer, e a viver com esse intruso na boca!
passa, e é mais rápido do que parece... e o fim é gratificante, de verdade!
boa sorte com tudo por aí, e se precisar esclarecer alguma coisa, ou ainda de algumas dicas, não tema em entrar em contato!