11 agosto 2006

será que o tempo realmente passa?

Buenos Aires. Como sinto saudade. Aquele quarto de hotel com cama grande para rolar com o par. Saudade de passar 24 horas ao lado do homem que eu amo... Saudade das andanças e descobertas que duravam dias inteiros. Saudade de me perder na Recoleta e acabar descobrindo um Centro Cultural que fez a noite valer o dia. E de tomar sorvete de doce de leite passeando por praças em pleno inverno. Aprender a gostar de carne. Fazer macarrão na cozinha do hotel. Tomar vinho bom e barato. Passear no supermercado. Ser a pessoa mais feliz no mundo em San Telmo, comprando um casaco da década de 1930, em meio a tantas bugigangas... Saudade de descobrir um restaurante que já foi farmácia e ter o melhor almoço da vida. Saudade também da cantina italiana. E dos argentinos. Dançarinos de tango. Torcedores de futebol. Taxistas em seus táxis cheios de estilo, que nos davam balinhas e mapas e ainda alertavam sobre os perigos da cidade. Perigos que felizmente não vimos. Ao invés disso, vimos um cemitério fazer vezes de museu. E vimos museus. E tomamos as melhores cervejas. E falamos com o Brasil de cabines telefônicas que se metiam em mercadinhos... Saudade de me meter em mercadinhos. Saudade do colorido do Caminito. E de entrar pela primeira vez em um estádio de futebol. E dos preços, que saudade dos preços! E dos cafés, e dos churros, e do doce de leite. E da Florida. Do croissant do café da manhã. Saudade do Teatro Colón, com sua história. E da história daquela cidade inteira, com seu Café Tortoni e seu moinho. Especialmente, saudade do tempo de Buenos Aires... Do tempo que as pessoas têm para deitar ou se sentar em praças, e cochilar, e conversar, ou simplesmente olhar o mundo, parar. Que tempo é esse que não vejo por aqui onde tudo corre, onde as pessoas correm? Que tempo é esse que não passa? Não passa!? Passa... E que pena que passa. Porque se não passasse, não estaria agora sofrendo de saudade da cidade na qual espero morar algum dia.

4 comentários:

Flor disse...

Essa pergunta me lembra tantas coisas!!!
Serah que o tempo realmente passa?!?!?!
Acho que pra sempre essa pergunta estarah ligada a vc e a Maria...

Lindas!!!

Beijocas

PS: Quero saber mais dessa viagem!!!

photographie disse...

Vou levar as fotos quando for te visitar no sudoeste! =)
Também tenho boas lembranças!

Maria disse...

"Do tempo que as pessoas têm para deitar ou se sentar em praças, e cochilar, e conversar, ou simplesmente olhar o mundo, parar."

isso se chama férias, bonita... adultas... será que passa?!!?.. hehehe
beijos e saudades

photographie disse...

Não Maria! O impressionante é exatamente que eles não estavam de férias!!!